Esse trabalho apresenta em três capítulos (introspecção, panorama e fosfema) uma perspectiva sobre o processo de finitude. Uma reflexão sobre pontos de vista, dimensões de tempo e permanência diante da morte. É uma maneira de elaborar a perda e quebra de significados em torno da morte, materializando a ambiguidade implícita nos conceitos de ausência e presença, impotência e ação, realidade e invenção. É uma série/processo de reflexão-expansão, onde afeto é vivenciado como potencial inventivo: fotografia. O título refere-se a transição das estações do ano em que o trabalho foi produzido, onde a variação térmica e o desabrochar das flores de Jasmim fazem uma analogia à ideia da imprevisibilidade da vida, associada a permanência da memória. 

concepção, pesquisa e fotografia: Cayo Vieira

coordenação e textos: Andréa Sério

Pç. São Paulo da Cruz, 50 - Travessa Dr. Flávio da Luz, sala 05 | Curitiba/PR​ - Brasil 

Tel: +55 41 99615-6665  |  e-mail: contato@nomovimento.co